segunda-feira, 14 de julho de 2014

Contos do Cotidiano – O Bem Amado.

Por Ivanei
Tinha um cara em Várzea do Poço bom de papo, experto e conquistador, ele conheceu um cidadão simples daqueles que confia em tudo e a todos, logo o pacato cidadão convidou para tomar um cafezinho em sua casa, o experto ficou com intimidade e cheio de más intenções, começou a frequentar a casa a qualquer hora. Certo dia ele inventou que tinha chegado de viagem, cansado e pediu para dormir na casa do amigo, que aceitou e pediu para esposa arrumar o quarto de visita para o galanteador, até aí tudo bem, depois que ele pegou confiança do amigo, começou a sair com a mulher, não demorou muito o conquistador passou a dormir no quarto de visita e logo depois a mulher expulsou o marido do quarto de casal colocando pra dormir no quarto de visita e ele se apossou da cama larga. A casa simples, modelo antigo, telhado alto e as paredes que dividiam os cômodos eram baixas conhecidas por meia parede, com isso tudo que se falava dava para se ouvir.

Certo dia depois do lepo, lepo, começaram a conversar vários assuntos, foi quando a mulher falou para o conquistador que o marido estava precisando de um sapato novo, pois o único que ele tinha estava furado na sola. Foi aí que o esperto quis tirar o corpo fora e procurou a mulher se ela sabia o número certo do sapato, pois só comprava se fosse o número exato, porque o cara da loja não trocava. Com essa pressão a mulher disse que não estava lembrada, na verdade não sabia por isso não era pra comprar.  Foi quando o coitado que estava dormindo no quarto vizinho gritou várias vezes: “É 42 é 42”.  

Nilton Ivanei Gomes dos Santos, nascido em 1952 em Salvador, mas criado em Várzea do Poço – Bahia. 
Historiador que vivencia os movimentos culturais, esportivos e políticos. 
Postar um comentário