terça-feira, 20 de maio de 2014

Crônica do Cotidiano - Vendedor de cocadas cai no conto do fim do mundo


Foto: Ilustrativa
Por Ivanei
Existia em o nossa cidade (na época era povoado de Miguel Calmon) um cara que tinha chegado recente da roça e ele gostava de fazer biscate, quando conheceu uma senhora que fazia cocadas, convidou ele para vender. Nessa época só existia o Rádio de pilha como meio de comunicação, um esperto quando viu o vendedor saindo da casa da senhora chamou e disse que tinha ouvido uma notícia no rádio que o mundo ia se acabar naquele dia, aproveitando a inocência do rapaz, conseguiu convencer ele a irem para casa e comeram todas as cocadas do tabuleiro. O vendedor ficava a todo o momento perguntando que horas o mundo ia acabar, o experto dizia ao rapaz que esperasse o Rádio anunciar a hora que ele avisava, o coitado do vendedor cansou de esperar e nada.

No dia seguinte ele foi levar o tabuleiro vazio e sem dinheiro na casa da senhora e contou o ocorrido, ela quebrou o tabuleiro e uma colher de pau na cabeça do vendedor dizendo: “Chevrolet, isso foi coisa de Netinho”.  


Nilton Ivanei Gomes dos Santos, nascido em 1952 em Salvador, mas criado em Várzea do Poço – Bahia. 
Historiador que vivencia os movimentos culturais, esportivos e políticos. 

 

Postar um comentário